Archive for janeiro \13\UTC 2016

POR UM ANO TODO NOVO

13 de janeiro de 2016

hand-1030574_1280


O calendário civil nada mais é do que o tempo repartido, como diz o poeta, “o tempo em fatias”. É bem isto que recebemos do novo ano: um calendário contendo seus 365 dias, suas 52 semanas, seus 12 meses e suas 8760 horas.

Há uma ânsia quase que crônica em fazermos as promessas incríveis para que o “ano novo” possa nos trazer coisas novas. As ilusões regadas a champanhe, lentilhas, perus, cabeças de porco, e outras iguarias revelam que, se o estômago estiver estourando, na verdade, o ano novo já começará desarranjando-nos.

Não se começa bem o ano que chega alimentando-se de doces e falsas ilusões. Começar bem o ano é um projeto de dentro para fora. Vai muito além do calendário na parede que nos lembra do tempo repartido. Para você que começou o ano novo e já esta ficando mais velho do que o próprio ano velho, então pense sobre isso:

Esperança Operante: realmente somos capazes de quaisquer coisas, basta apenas saber o que buscamos e trilhar o caminho. Então, é preciso saber esperar operando, isto é, estar atento ao que precisa fazer para que o que deseja, verdadeiramente, possa acontecer em sua vida; de nada adianta a oportunidade bater a sua porta e você estar no quintal procurando “trevo de quatro folhas”. Esforço, sacrifícios, intenções justas, boas companhias, estudar e se comunicar, são algumas linhas de forças que ajudam a buscar o que os seus sonhos desejam.

Dar vida ao calendário: do calendário recebemos somente a data, o restante é por nossa conta. Saber o que se vai fazer “amanhã” sempre nos posiciona diante do que virá pela frente. Um bom ano exige de nós bons projetos e planos. Acordar e não saber o que o que vai realizar durante aquele dia é começar com prejuízo o dia. Não viver à espera de surpresas, mas apreender a surpreender-se.

Colabore com seu calendário, que ele saiba o que você tem para fazer a cada dia, semana e mês. Assim, seu ano será novo por 365 dias.

Saber fazer, mas saber descansar: nosso atual tempo histórico tem por dom nos cansar. Corremos o risco de já começar o ano cansados, exaustos, esgotados. Não vivemos bem se não soubermos que precisamos bem repousar. Corpo, mente, coração e alma precisam de  tempos de descanso. Sossegar um pouco, relaxar sem medo que se está perdendo tempo. Ninguém é de ferro. Precisa-se saber parar. Não podemos derrubar os frutos colhidos pelo cansaço e sobrecarga que nos acometemos ao colhê-los. Um descanso é também uma prioridade para quem deseja saber o que é um ano novo sempre novo.

Pe. Ederson Iarochevski

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: