Archive for janeiro \31\UTC 2014

PRESOS EM MIRAGENS

31 de janeiro de 2014

miraggio

Quando alguém passa pelo deserto e se percebe sem os recursos necessários para a travessia, logo começa a ser envolto por miragens. E a miragem nada mais é do que uma visão enganosa que nos retira da realidade e nos aponta para  coisas que não existem.  Miragem é estar desfocado da realidade. A miragem é como se estivéssemos acorrentados em barras de ferro em que, por mais que haja esforço, os passos serão limitados e a energia desperdiçada faz com que se desanime na busca.

Perde-se muito tempo com as miragens, com aquilo que é irreal, e nisto, as verdadeiras conquistas passam ao largo, sem nos darmos conta que nossa luta está sendo vã, pois estamos acorrentados a uma ilusão. Nos relacionamentos interpessoais, seja no convívio cotidiano ou mesmo em espaços de atividades profissionais, as miragens podem descarregar ações que paralisam e impedem as pessoas envolvidas de crescerem e se realizar. A miragem é prisão mental na qual muitos estão encarcerados.

Exemplos de miragens de nosso cotidiano:

O melhor ataque é a defesa: é a atitude do «vamos deixar como está». É podar a criatividade e realizar somente o previsto. Desvincular as pessoas de suas possibilidades de desenvolverem novas ideias para projetos mais ousados. Por uma pseudosegurança tudo se mantém na ordem. A atitude de autodefesa é característica deste tipo de miragem: manter-se com o que se tem é a única opção. Muitas pessoas sofrem com este olhar sobre a vida, pois param no tempo, também empresas chegam à falência por não ousarem a criatividade com seus colaboradores

Ser sempre o número 1: tudo é competição. Todas as relações, sejam pessoais ou profissionais, estão fadadas ao triste fim de o «mais forte vence». A sua história precisa ser a melhor, sua doença é a sempre mais sofrida, seu produto é o mais perfeito, seu estoque é o mais cheio, você ganha muito mais dinheiro etc. … um sofrimento que é alimentado todos os dias. O mundo parece ser dos mais fortes e tudo isso gera relações altamente líquidas entre as pessoas, um é o predador do outro, pois vive-se sob a miragem de precisar estar sempre no pódio. Esta miragem gera o desconforto de ter que diminuir o outro para vencer, e acaba fazendo com que as pessoas percam o significado de suas relações.

Agenda lotada: não se tem tempo para nada. Tudo é trabalho, precisamos estar totalmente envolvidos com tudo para provar que é a ocupação em dose alta que nos realiza. Não se tem mais descanso, férias são para os outros. Descansar é para os fracos, trabalham os fortes. É preferível colocar em risco a vida equilibrada com a família, o bom relacionamento com os amigos e até a saúde física e emocional, mas jamais desprender-se dos compromissos profissionais porque é carreira bem corrida que realiza. Esta miragem é uma boa armadilha para retirar as riquezas mais nobres que as pessoas possuem. Ela afasta de você tudo e todos que realmente são importantes. Pode até deixar a pessoa com uma boa conta no banco, mas, no quesito família e amigos está prestes a falir, porque nenhuma relação se mantém se ela mesma não tiver um bom espaço na agenda diária de uma pessoa.

Logicamente que estas são algumas miragens entre tantas que turvam os olhares das pessoas. Aqui fica claro que quanto mais vivemos na ilusão das miragens, mais perdemos a chance de viver com qualidade e objetividade. A vida passa muito rápido para deixar de aproveita-la em seu significado maior. Um mundo de relações líquidas e ações totalmente competitivas mina o coração das pessoas de miragens, fragilizando-as na arte de conviver bem. Não se aninhe nas miragens, viva a realidade que você tem e que só você pode manter dando a devida atenção àquilo que realmente confere valor ao seu viver.

Pe. Ederson Iarochevski


%d blogueiros gostam disto: