DEIXAR QUE AS COISAS SEJAM

Chega a cansar ver quanta energia é consumida pelas pessoas que, de forma inútil, se preocupam com acontecimentos e realidades que não podem mudar. Toda preocupação é adesão, seja por temor, seja por desejo.

Para que tenhamos relações pessoais harmoniosas não podemos prescindir da calma e da paz. Logicamente, a calma e a paz são ameaçadas diariamente pelas coisas que sucedem ao nosso redor. Por vezes, nos fixamos no fato em si, o que nos trará perturbações que vão originar reações compulsivas diante daqueles que vivem e convivem próximos de nós. Precisamos de paz para poder amar, mas duas coisas furtam a paz e trazem a guerra: a resistência e a adesão.

A resistência é uma energia liberada contra algo ou alguém.  A adesão é um laço emocional entre minha pessoa e algo ou alguém. Quando há em nós temor, podem estar presentes ao mesmo tempo as duas emoções reativas, opostas entre si: a da adesão e a da resistência. Imagine a situação: vamos supor, por exemplo, que vão lhe transferir de cargo ou de lugar. Você sentirá resistência pela eventual transferência porque há em você uma adesão emocional profunda ao cargo; aí é necessário observar que o temor é sempre uma energia desencadeada para defender um interesse ameaçado.

Para obter e manter a paz interior, abre-se diante de nós o caminho de uma sabedoria simples e global, que se resume nestes princípios: você pode mudar alguma coisa? Mude-a! Não pode mudar nada? Deixe-a como está! Se a cada momento fôssemos aplicando essas senhas à universalidade da vida, amanheceria no horizonte de nossa alma o grande dia da paz profunda e universal. Todas as nossas energias ficariam livres e disponíveis para o serviço dos outros.

Precisamos nos dar o direito de, por vezes, não nos preocupar. Por exemplo: quando fores dormir, que possas apenas dormir e nada mais. As preocupações de amanhã, deixa-as para amanhã. Afinal, o bom soldado só estará inteiro para a batalha se dar o descanso justo ao seu corpo, à sua mente.

Éderson Iarochevski

Anúncios

Uma resposta to “DEIXAR QUE AS COISAS SEJAM”

  1. Edegar Fronza Junior Says:

    Parabéns Ederson, pela excelente reflexão.
    Vivemos em um mundo bastante conturbado, de fato deixar que as coisas sejam na sua naturalidade, aceitando aquilo que vem ao nosso encontro é imprescindível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: