CRER PARA SER FELIZ

A noite da vida é iluminada pela fé - Enrico Paolucci.

Nossa força vem daquilo que cremos. Nossa vida pode ganhar um novo sentido quando nos rendemos a um grande amor. Este amor, contudo, há de ser a novidade que nunca passará. É o amor que sobrevive ao futuro, que nos garante que a vida deve continuar. É o amor que, mesmo em meio à dor, descobre razões que elevam nossa humanidade limitada e, por vezes, tão carente. Esse amor só pode ser o amor de Deus por nós. É verdadeiramente um amor imenso, forte e suave, um amor sem fim. E esse amor teve seu ápice na encarnação do Filho de Deus: Jesus Cristo. E em Jesus Cristo, que é o “autor e consumador da fé” (Hb 12,2), conservaremos fixo nosso olhar, porque é nele que encontramos a plena realização do coração humano. Em Jesus Cristo descobrimos o verdadeiro sentido da vida. Nossa amizade com Deus nos faz descobridores dos segredos para uma vida mais humana e feliz.

A alegria do amor: a arte de amar é um convite a viver com intensidade a alegria da vida. Amor não combina com tristeza. Amor, para ser amor, só pode ser gerador de uma alegria que faz toda pessoa sentir prazer em viver e conviver. Nasce de uma opção fundamental por aquilo que é justo, nobre e verdadeiro. Se o amor que você vive é verdadeiro, logicamente seus dias serão regados de grande alegria. Quando o amor é real tem-se mais motivos para sorrir do que para chorar. Como Maria recebeu com alegria o Filho de Deus em seu ventre, vivamos também a alegria de ter Cristo em nossa vida. Nosso coração é o ventre que acolhe o Cristo amigo. Permitamo-nos ser amigos e irmãos de Jesus Cristo. Que seja ele a nos guiar pelas estradas da vida.

A resposta ao sofrimento: o sofrimento é uma conseqüência inevitável de nossa condição humana. Em nossa existência não há quem viva livre de sofrimentos. Mas, ao se olhar de um jeito certo para o sofrimento, descobrimos grandes riquezas. O sofrimento pode ser a grande oportunidade de mudança na vida de uma pessoa. Às vezes, a dor nos revela o quanto necessitamos de amor. A grande resposta ao sofrimento é a luta constante por uma vida moldada pelo amor verdadeiro. O sofrimento pode chegar a qualquer momento, mas não tem motivos para permanecer. Afinal, o projeto de todo ser humano é a felicidade, e se o sofrimento bateu à sua porta, é porque até a dor ajudará na busca saudável de uma vida feliz. Não há ressurreição sem cruz. Não há verdadeira felicidade sem a experiência do sofrer. No entanto, o que o fim nos reserva já estava escrito lá no início: você nasceu do amor, e no amor permanecerá.

A força do perdão: perdoar é para os que têm um coração que vive a dinâmica do amor. Perdoar é devolver a possibilidade de uma nova vida para você mesmo e também para o outro. Perdoar é deixar de engravidar-se do mal. Quem perdoa mostra o quanto está disposto a viver a alegria verdadeira, e o esforço que faz para responder aos sofrimentos das ofensas que tanto machucam e magoam as pessoas. Perdoar é reconhecer que somos todos de barro e que precisamos cuidar uns dos outros. Afinal, sempre haverá tensões em nossas convivências, mas, não há gesto mais humano nesta vida do que perdoar alguém e devolver-lhe a oportunidade de olhar a vida com mais serenidade. O perdão garante futuro: perdoar é princípio de vida nova. Só perdoa quem vive a tensão verdadeira do Reino de Deus.

A vitória da vida sobre a morte: para o cristão, o fim é sempre um novo início. A morte não tem a última palavra onde Deus habita. Nossa amizade com Deus é garantia de vida. Se Deus é o Deus da vida, estar com ele é fazer valer toda a vida. A morte muitas vezes está nos rondando. Não a morte física, mas a morte simbólica, aquela que nos arranca o gosto e o sabor da vida. Quando tudo parece dar errado, passamos a acreditar mais na força da morte do que na dinâmica da vida. No entanto, a vida é vencedora da morte, aniquilada debaixo dos pés da vida. Cristo venceu a morte e nos garantiu vida, e vida eterna. Se a morte fez Cristo ficar com os braços abertos na cruz para sofrer a dor da morte, estes mesmos braços Deus Pai transformou em aconchego e segurança para todos aqueles que, por vezes, sofrem com os sinais de morte que o mundo carrega. Os braços de Cristo estão abertos para garantir vida à nossa vida.  A nós cabe acolher tal verdade. Acreditar na vida. Onde há braços abertos para a vida, as forças da morte não podem chegar.

Éderson Iarochevski

Tags:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: